terça-feira, 15 de dezembro de 2015

REPUBLICANOS EM CLIMA DE FESTA

Republicanos são especialistas em superar expectativas e quem encabeça este sentimento é o vereador GELSON Ferraz, presidente municipal do PRB.

Quem esteve presente na confraternização com os pré candidatos viu e ouviu, da mensagem do presidente nacional Marcos Pereira, em vídeo, ao presidente estadual e pré candidato a prefeito, deputado federal Ronaldo Martins. GELSON também inspirou, mas ao vivo, como de costume, próximo daqueles que constroem o partido há 10 anos.

Novas lideranças? Sim, a empolgação com o partido e com a energia dos republicanos gerou mais filiações. O jovem João Gabriel agora é PRB pelas mãos do próprio presidente.

Os registros estão todos aí, é só conferir!










quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

ENCONTRO PRB MULHER CEARÁ

Republicanas cearenses se encontram na Câmara Municipal de Fortaleza para debaterem o poder da mulher na política partidária. Várias autoridades municipais, estaduais e federais acompanharam o evento, como o presidente municipal do PRB, vereador GELSON Ferraz.

Acompanhe matéria da TV Fortaleza.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

GELSON para todo CEARÁ!

O vereador foi um dos convidados do veterano jornalista Narcélio Limaverde, na Rádio Assembleia FM, para falar sobre seu mais novo projeto: creches para idoso.

Entenda tudo ao ouvir a entrevista, transmitida ao vivo para todo estado.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Em forte pronunciamento, GELSON declara: "Estamos em GUERRA!"

Vereador vai à tribuna denunciar a insegurança instaladas nas ruas de Fortaleza.

Acompanhe pronunciamento.





Um bom dia a todos.

É impossível, senhor Presidente, nós fecharmos esta semana sem falar da terrível
chacina que vitimou moradores do bairro Messejana, que foram covardemente
assassinados.

E fazemos questão de lembrar, senhoras e senhores, para que isto não se repita jamais.

O mundo está estarrecido com os ataques terroristas em Paris, outro drama recente. Mas
o que aconteceu aqui pertinho, há cerca de 10km aqui da Câmara Municipal, é
difícil de engolir.

Os mais precipitados creditaram primeiramente à guerra entre gangues. Ou seja, é
bandido matando bandido. Mas o que aconteceu de verdade foi que 12 pessoas, sem
passagem pela polícia, sem condenação pela Justiça, simplesmente foram varridas
do mapa, certamente por um motivo absurdo.  Tudo indica que se tratou de
uma vingança.

Mas eu pergunto aos senhores: vingança contra quem?

O Secretário de Segurança, em uma sabatina a que foi submetido ontem na
Assembleia Legislativa, disse que há indícios da participação de
policiais. 

Mas que absurdo! 

Como a sociedade reagirá, se descobrir que as pessoas que são pagas para servir e
proteger, são capazes de crimes bárbaros, contra pessoas inocentes?  E
quem teria dado a essas pessoas a licença para matar?  Não me consta que a
Constituição Federal tenha criado nenhum agente 007.  

Ou seja, o que ocorreu foi crime. Foi chacina. Foi covardia. 

E se essa carnificina tiver sido executada por gangues, ou pelo tráfico, é o recibo que
estamos passando de que a coisa toda fugiu do controle. De que perdemos a
guerra para a violência.

E ainda tem quem reclame porque o Congresso Nacional quer facilitar ao cidadão comum de
possuir sua arma, para a defesa da sua vida e da sua família.

Estamos diante da segunda maior chacina já registrada no país. Perdemos apenas para a
de Vigário Geral, uma comunidade do Rio de Janeiro, onde milicianos
assassinaram 21 pessoas. E até parece que não aconteceu nada. Vamos ali
inaugurar um bicicletário. Ou vamos para a China conversar com
empresários. 

Ora tenha santa paciência!

Parafraseando o presidente francês, Franssuá Olandi: ESTAMOS EM GUERRA!!

Alguns deputados federais, como Ronaldo Martins e Vitor Valim, estão clamando lá em
Brasília para que a Força Nacional possa vir reforçar o policiamento nas ruas.
Se não podemos confiar em ninguém, temos que pedir ajuda sim.

E o máximo que ouvimos dos nossos governantes é de "não precisa de Força
Nacional. Aqui nós damos um jeito"
.

Ora, mas que jeito? Qual o jeitinho brasileiro que vamos dar nisso?

Que jeito nós podemos dar nesses criminosos que até atearam fogo numa viatura lá no José
Walter; e que fuzilaram um quartel da PM, ali no bairro Montese?

Quando um bandido tem a confiança necessária para destruir uma viatura de polícia, então
podemos ter a exata dimensão de que a coisa é daí pra pior. Se bandido não tem
medo de polícia; e se polícia pode ser confundida com bandidos; onde vamos
parar com tudo isso?

É quando a certeza de impunidade, pelos bandidos; e o pavor, por parte da população, são
os únicos sentimentos possíveis.

Está claro que não estamos conseguindo reprimir a violência. Isto é um fato.

Mas o que estamos fazendo para evitar que a violência se torne endêmica? Que tome conta
de toda a sociedade.

Não há uma luz ainda no final desse túnel escuro. 

As Igrejas fazem a sua parte. As organizações não-governamentais fazem a sua
parte. Mas o poder público não faz a sua.

Até parece que tudo se resume apenas a tinta e concreto. Está claro que isso não
resolve nada.

Se não cuidarmos das pessoas, a chacina da Messejana será apenas mais um componente na
paisagem da violência urbana.

E é aqui nesta Casa que temos de tomar iniciativas concretas para ajudar a mudar esta
situação.

Estamos analisando um orçamento, que mais parece um relatório de compras de uma grande
construtora.

E quanto estamos destinando para as ações sociais efetivas?

Quanto estamos destinando para o trabalho dos conselheiros tutelares, para as ações
que podem cuidar das pessoas, recuperar vidas, prevenir nossos jovens contras
as drogas?

Quanto nós temos destinado ali para reativar os Centros Sociais Urbanos, que já estão
construídos? E talvez esteja aí o pecado. 

Como explicar que numa área violenta como o Grande José Walter, que tem um
gigantesco e abandonado CSU, o Poder Público não possa dotar esse espaço para a
convivência dos nossos jovens.


"Ah, mas ali já está construído. Entrega ali para alguém cuidar".  E tudo
fica ali como está: inacessível, abandonado, sem uso. E logo ali ao lado, na
praça também abandonada, os jovens, que poderiam estar usando o equipamento,
estão consumindo crack à luz do dia.

Pois eu digo que esse modo de fazer política está envelhecido; ultrapassado.

E como vamos sair do estigma da violência? 

Talvez a resposta para isso seja dada a longo prazo, depois de muitas vidas ceifadas.
Depois de muitas chacinas na Messejana.

Fica aqui o nosso protesto, senhor Presidente.

Obrigado.  

GELSON defende nova valorização para o TURISMO

Como presidente da COMISSÃO de TURISMO, o vereador GELSON articula nova forma de valorizar um dos setores que mais geram emprego e renda, na capital.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

"NOSSA BEIRA MAR JÁ ESTÁ SUFOCADA", reflete GELSON

Diante de sugestões de interdição da Avenida Beira Mar para prática de esportes aos fins de semana, provoca crítica do vereador GELSON Ferraz, que é presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, TURISMO, Emprego e Renda, na Câmara Municipal de Fortaleza.



Acompanhe.



GELSON apresenta projeto que favorece pais de alunos

O Projeto 0296/15 está em pauta neste momento na Câmara Municipal de Fortaleza. O seu texto justifica servidores públicos, que são pais de alunos, se ausentarem do trabalho para participação em reuniões escolares de seus filhos.



Acompanhe sua fala.



quinta-feira, 5 de novembro de 2015

GELSON defende mais áreas de lazer em FORTALEZA





"Toda vez que subimos aqui a esta Tribuna, senhor Presidente, fazemos isto com algumas esperanças. A primeira é de que possamos passar o que pensamos e o que queremos que as pessoas compreendam da melhor maneira possível. 

A segunda esperança, senhor Presidente, é de que o máximo de pessoas, e não somente quem está neste recinto, sejam alcançadas pela nossa mensagem. E para isto, contamos com a possibilidade da imprensa pautar o que falamos aqui, ou seja, que o profissional da imprensa, os jornalistas e radialistas que fazem a cobertura da Câmara, possam fazer ecoar o que falamos. 

A terceira esperança, esta mais difícil de alcançar, por uma série de fatores como a vaidade, a incapacidade de aceitar opinião contrária ou mesmo o desdém, é a de que os gestores nos escutem. Eu digo os gestores de uma maneira geral. Seja o próprio prefeito, o governador ou seus auxiliares, os nobres secretários.

Ninguém sobe nesta Tribuna à toa. Pelo menos eu penso que não deveria fazer isso.

Eu quero aproveitar o meu espaço de hoje, senhoras e senhores, para fazer repercutir uma matéria que foi veiculada na imprensa, e que tem haver com uma série de pro nunciamentos que já realizamos aqui desta Tribuna. Eu falo da quase ausência de opção de espaços públicos adequados para a nossa juventude e para a população de um modo geral.

Todo mundo tem uma fórmula muito boa para como enjaular os nossos jovens. De como devemos tomar o seu tempo. Do tipo de punição que devemos aplicar aos infratores, etc. E não precisa ser um expert para perceber que nada disso tem dado resultado no combate à violência. E a matéria do Jornal O Povo traz de forma até lúdica as expectativas que esses jovens tês dos espaços que lhe são oferecidos. Mas o que a matéria não traduz, é que esta é uma angústia sofrida pela maioria da população, que nas últimas décadas, viu seus espaços de convivências serem reduzidos à quase nada.

Se fizermos uma rápida tomada de informações, vereamos que as nossas praças foram invadidas pelo abandono, pelo tráfico e pela violência. Não é à toa que os shoppings centers, sempre lotados, têm se transformado numa espécie de habitat mais seguro para quem quer simplesmente passear.

Quem aqui neste recinto se sente à vontade para fazer uma caminhada numa praça, em qualquer dia da semana? Curtir os espaços públicos sem a preocupação de ser assaltado, aviltado em sua dignidade, tem sido cada vez mais difícil. 

Já sei, temos a Beira Mar, quando ninguém é esfaqueado, baleado ou assaltado. Mas pelo menos tem a presença da polícia e da Guarda Municipal. Aí temos algumas praças da Aldeota. Uma única praça ali no Papicu; o passeio público aos finais de semana e a trilha do Parque do Cocó, vigiada pela polícia ambiental.

Talvez tenha me escapado algum espaço, de forma isolada. Mas quando se parte para a periferia, temos um desastroso contraste, que talvez não seja do alcance do Poder Público. As praças dos bairros são territórios quase desertos, ocupados por quem quer beber ou consumir drogas. São espaços demarcados para que as famílias não as utilize.

Afora o estado de conservação, a maioria caindo aos pedaços, como as praças do bairro José Walter, que não vêem reforma há muitos anos, a violência simplesmente espantou as pessoas.

Não só os jovens, mas as famílias de uma forma geral.

Aumentamos o contingente da Guarda Municipal, mas ainda insuficiente para cobrir todos os espaços públicos. Mas isto não é desculpa para não termos presença algumas do Poder Público nesses espaços. A população se sente mesmo abandonada, principalmente na periferia. Esta é a realidade.

Eu faço aqui um apelo ao Prefeito Roberto Cláudio, para que olhe para as praças da periferia. Olhe para as praças da Regional V e VI, principalmente. Olhe para o CSU Adauto Bezerra, que vive com placas de reforma, mas parece que o dinheiro não chega ou não tem ninguém olhando, sendo aquela casa mal assombrada há décadas.

Não fosse os espaços de convivência para a juventude implantadas pela gestão anterior, quando a Prefeita Luziannne construiu os CUCAS, não haveria para onde o jovem ir.

As areninhas são muito boas, mas se não tiver vigilância e segurança, daqui há pouco não passarão de lotes disputados pelo tráfico. Não dá pra continuar falando em bem estar social e simplesmente deixar de estar presente nos bairros.

Não adiantam as obras fantásticas, se as pessoas continuarem aterrorizadas com a violência, sem opção.

Eu chamo a atenção do Prefeito Roberto Cláudio para estas questões, porque talvez ele não saiba mesmo o que está acontecendo com essas Regionais. 

Lá na Messejana, por exemplo, a comunidade ali do sangradouro da Lagoa, aguarda por uma escadaria há uns 10 anos. Já colocamos recursos no orçamento, já realizamos todo tipo de reunião e articulação. E só ouvimos que aquilo "é uma bobagem", "é barato", que "vamos fazer", e por aí vai. Mas eu estou começando a achar que a obra não vai sair porque alguém na Regional VI acha mesmo que é barata. Então, não deve valer à pena.

Escadaria, praça, parque, CSU. Tá tudo esperando. 

E eu tenho a coragem de agir para esta gestão como aliado e não alienado. Prefiro ser franco com o Prefeito e dizer o que não está funcionando do que ficar mostrando as maravilhas daquilo que não chega diretamente para a população.

Por enquanto é tudo, senhor Presidente.

Obrigado".

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

PEDALADAS DO BEM: GELSON e o LEGISLATIVO NO PIQUE

Para encerrar o PACTO por FORTALEZA,  ação da Câmara Municipal, uma pedalada foi organizada pelo centro da cidade. Centenas de pessoas aderiram, a começar pelos vereadores, com destaque para o presidente da Comissão de Turismo. GELSON, é um defensor por transformar a cultura e história do centro em atrativo TURÍSTICO.






quarta-feira, 14 de outubro de 2015

GELSON FALA SOBRE INVESTIMENTO NO TURISMO FEITO PELO GOVERNO DO ESTADO


Em pronunciamento, o vereador Gelson Ferraz vai a tribuna para apresentar o mais recente fluxo de investimento feito pela Secretaria de Turismo do Estado ao mesmo tempo que cobra da Prefeitura a mesma atenção ao setor turístico de Fortaleza. Acompanhe.




"Ontem, senhor Presidente, nós estivemos representando esta Casa, como Presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda, no lançamento do Plano Ceará Receptivo, do Governo do Estado, realizado ali no Palácio da Abolição.

O Governador Camilo Santana anunciou investimentos da ordem de 65 milhões de reais para os anos de 2016 e 2017, com o objetivo de promover o Estado do Ceará como destino turístico, principalmente no exterior.

O anúncio do governador, senhoras e senhores, recoloca o Ceará e Fortaleza, por consequência, no plano de cidades que passam a ser propagadas lá fora como cidade turística a ser visitada em viagens ao Brasil.

Nem é preciso destacar como é importante esta ação para a nossa cidade. Tanto em termos de divulgação, quanto ao impacto econômico que isto pode significar, pelo menos com relação à manutenção daquilo que já temos e que vimos perdendo pouco a pouco em cada ano, por conta de fatores como a violência, que certamente ainda é a nossa maior chaga.

São ações como esta, senhor Presidente, que têm o poder de contrapor informações negativas como a divulgada por estudo recente, que nos aponta como a capital mais violenta do Brasil.
Junto com o pacote de divulgação e promoção, também foram anunciados 367 milhões de dólares em obras de infraestrutura, algumas já em andamento. Sem dúvida é uma grande reação por parte do Governo do Estado, e que acaba por beneficiar a cidade de Fortaleza. Mas ainda aguardamos que a gestão municipal também possa contribuir com esta questão, que é prioritária.

Fortaleza precisa de um plano de ação mais claro e eficiente para o turismo. A ação do Governo meio que salvou a pele de Fortaleza, mas é aqui que as ações devem ser desenvolvidas. É o município que tem a obrigação de divulgar e promover a cidade. Mas muito pouco está sendo feito. Não fosse a propaganda de restaurantes e do Beach Park, que fica em Aquiraz, praticamente nada é feito.
Nós propomos uma reação positiva por parte da gestão municipal, com investimentos pesados em promoção, mas também em capacitação dos prestadores de serviço e dos trabalhadores. Ainda somos uma cidade deficiente na prestação desses serviços prestados ao turista.

E o nosso maior obstáculo, também deve ser enfrentado, que é a violência. Não podemos mais conviver com uma cidade que chama o turista e que o devolve ao seu destino esfaqueado ou baleado. Isto não pode mais acontecer. O fato negativo deve ser combatido com muita informação positiva, mas também com ações concretas que impeçam que fatos negativos voltem a acontecer. 
Então nós temos que nos esforçar para instituir um Plano Diretor para o Turismo de Fortaleza. Um plano que envolva ações concretas, que possam ir além da distribuição de panfletos para os turistas. E que evite problemas como o da reforma da Av. Beira Mar, que se arrasta por anos e ainda sem perspectiva de data para a conclusão.

Um plano que envolva diretamente todos os prestadores de serviço, a rede hoteleira, taxistas, bares e restaurantes, Guarda Municipal, a cultural, enfim, um plano que dê uma resposta definitiva para a questão turismo em Fortaleza, que nos tire do amadorismo que, infelizmente, ainda impera. A ideia é planejar as ações para o turismo.
Nós temos que escapar da pecha de “cidade dormitório”, onde o turista desembarca, se hospeda ou apenas passa por aqui, e vai direto para as cidades do litoral. Por sorte que os aeroportos de Aracati e de Cruz ainda não estão funcionando.

O turista deve vir à Fortaleza, permanecer e gastar o seu dinheiro aqui na cidade.
Então, senhor Presidente, eu quero parabenizar ao Governador Camilo Santana e ao Secretário de Turismo do Estado, Arialdo Pinho, pelo fôlego que estão dando ao turismo local, e pela consequente mãozinha que estão dando à cidade de Fortaleza.

Um Plano Diretor para o Turismo de Fortaleza, a nossa melhor opção para enfrentarmos de maneira organizada e eficiente os desafios que se avizinham.

Por enquanto é tudo, senhor Presidente.


Obrigado".

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

O trânsito de FORTALEZA: "Nenhuma VIA foi aberta na CIDADE", denuncia GELSON



"Eu trago a esta Tribuna, senhor Presidente, mais uma vez, a preocupação, que deve ser de todos, e que está estampada no Editorial do Jornal O Povo de hoje. O título do artigo é “LÓGICA INVERTIDA NO TRANSPORTE PÚBLICO”. Nós já vínhamos denunciando esta situação há algum tempo aqui na Câmara, de que a cidade de Fortaleza não suporta mais a carga de veículos que circula todos os dias pelas nossas ruas.

A notícia de que ultrapassamos a casa dos 580 mil veículos com emplacamento em Fortaleza é a
prova de que estamos pagando e ainda vamos sofrer ainda mais as duras consequências da falta de planejamento urbano. 
Somados às dezenas de milhares de veículos com placas de outros municípios que adentram aqui todos os dias, temos uma fórmula do caos. Estima-se que cerca de 650 mil automóveis congestionam as nossas vias. E este crescimento, que eu prefiro chamar de descontrole, é inversamente proporcional aos investimentos do Poder Público na abertura denovas vias ou na duplicação daquelas existentes.

Salvo o esforço para a construção de viadutos e alguns túneis, que apenas são paliativos, praticamente nenhuma nova via foi aberta na cidade. O último registro de novas vias, com considerável impacto no trânsito, é da época do Prefeito Juraci Magalhães. De lá pra cá, eu pergunto aos senhores e senhoras: quantas novas avenidas foram abertas? Quantas novas rotas foram disponibilizadas para desafogar esse caos do trânsito? Quem lembrar de alguma nova via, por favor me socorra aqui.

Lá se vão quase 13 anos desde a última avenida aberta, a Benjamim Brasil, que ligou as avenidas
Bernardo Manuel e Godofredo Maciel. E pronto. 
Há um agravante nesta situação toda: o encurtamento das já combalidas vias com a implantação de faixas exclusivas para ônibus e as ciclovias. Mas observem, senhores e senhoras, que apesar de particularmente eu louvar estas iniciativas do Prefeito Roberto Cláudio, com exceção do corredor central da Av. Bezerra de Menezes, os demais investimentos em faixas exclusivas se resumiram a três elementos: PINCEL, TINTA e FOTOSSENSORES.

Então se prioriza o sistema de transporte de passageiros, o que está absolutamente correto, mas não
se duplica vias; não se abrem novas avenidas e ruas, preparadas, planejadas para receber os ônibus em suas faixas exclusivas. Então o efeito disso, que eu chamo de fórmula do caos, foi o seguinte: RUAS E AVENIDAS JÁ ESTAGNADAS PELO INTENSO TRÁFEGO + PINTURAS DE FAIXAS PARA O TRANSPORTE + PINTURAS DE CICLOFAIXAS = CIDADE PARADA.

Observe senhor Presidente, que até mesmo as ciclo faixas, a exemplo do que foi feito na cidade
de São Paulo, apenas demarcaram com tinta o espaço para os ciclistas, o que põe em risco até a vida dessas pessoas. Não se construiu ciclo faixas, como fez Juraci Magalhães no canteiro central da Avenida Bernardo Manuel ou o Governador Tasso Jereissati, no canteiro central da Av. Washington Soares e CE-060. As faixas são apenas pinturas no asfalto.

Eu sei que o que digo vai causar polêmica, mas é a verdade. O fluxo de veículos na Aldeota e
Centro, por exemplo, ficou espremido, reduzido. 
Ah, mas o argumento é o de desestimular mesmo o uso de automóveis, que andam ali com apenas um passageiro, etc. Mas, senhoras e senhores, esta não é a realidade da nossa cidade. Não temos transporte público nem suficiente, nem eficiente, nem atrativo, para estimular o cidadão, que tem que se descolar de um lado para outro a utilizá-lo. Nossos ônibus são, ainda, um grande improviso, carentes de planejamento, de novas linhas, de trabalhadores mais preparados, de terminais de transbordo realmente humanizados.

Se a ideia com a implantação das faixas super fiscalizadas por fotossensores foi a de desestimular
o uso do automóvel ou de organizar o fluxo dos ônibus, falhou duplamente. Primeiro porque os fortalezenses não deixaram de usar os seus carros aos montes. E depois porque os próprios ônibus não respeitam a sua faixa exclusiva, invadindo constantemente o espaço reservado aos automóveis, caminhões, motos etc.

E há um sinal importante de que uma parte dessas faixas exclusivas, em avenidas como a Perimetral, por exemplo, está repleta de buracos, lama e obstáculos, como carros estacionados, cones, entulhos, etc. Então não está tudo funcionando a contento. Infelizmente não. E para piorar a situação e nos tirar as esperanças, conseguimos financiamento do Governo Federal para a construção de uma grande ponte estaiada. Uma daquelas belezuras que temos em Brasília, Manaus e Aracaju. Mas a decisão altamente planejada e eficiente do Governo do Estado, foi a de construí-la ali por trás da Unifor, ligando o Centro de Eventos à Cidade Fortal. Eu chamo de ponte da ilusão.

Não consigo nem fazer mais ironia com esta proposta absurda, que não recebeu nenhum protesto por parte da Prefeitura. E até sugeri, em pronunciamento e através de um requerimento, que esta ponte fosse construída sobre o Rio Cocó ligando a Av. Raul Barbosa à Av. Rogaciano Leite, para desafogarmos o imenso trânsito de quem se desloca da Zona Sul até a Aldeota. Fluxo este que não será resolvido com a construção do viaduto. Mas devemos mesmo receber a tal ponte ligando nada a
lugar nenhum. Por fim, senhor Presidente, eu volto a rogar à Prefeitura, ao IPLANFOR, enfim, a alguém da Gestão que possa começar a pensar e planejar a implantação de um rodízio de veículos em
determinadas áreas da cidade.

Fortaleza não pode mais se furtar deste debate. O Rodízio de veículos deve ser considerado com
urgência. 
Estas são as minhas colocações por hoje, senhor Presidente, na esperança de que possamos começar a tratar todas as questões aqui colocadas com a seriedade e com a verdade que o tema necessita. Chega de improvisos. Chega de imitações. Precisamos planejar e realizar para a posteridade, como fizeram alguns gestores de décadas atrás. Aliás, eu fui contemporâneo da gestão do Dr. Juraci Magalhães e lembro bem de como ele foi criticado por ter aberto tantas avenidas na cidade. Mas certamente a realidade de hoje faz justiça ao que ele pensou para a cidade.

Menos tinta, novas opções para o trânsito e para o transporte. Por um trânsito mais humanizado e menos relegado à própria sorte. Obrigado".



quarta-feira, 30 de setembro de 2015

GELSON faz homenagem aos SOLDADOS brasileiros

A celebração pelo Dia do Soldado, 25 de Agosto, não passou desapercebido na Câmara Municipal de Fortaleza.

Vereador GELSON, foi à tribuna, diante de um corpo ímpar de militares para saudar as Forças Armadas. A sessão Solene também contou com o aniversário de 73 da 10ª Região Militar.

Acompanhe o discurso.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

GELSON no PACTO por FORTALEZA em AÇÃO

O vereador GELSON, como presidente da COMISSÃO de TURISMO, da Câmara Municipal é um dos defensores da ampliação das possibilidades de se fazer turismo em Fortaleza. Além das belas praias, há os belos endereços históricos e culturais da região central.

Um passeio foi realizado pelos parlamentares: Theatro José de Alencar, Passeio Público e Praça dos Leões foram alguns equipamentos ricos em tradição apresentados para fazerem parte de um roteiro.

Aliás, o tema do vídeo homenageia a Praça do Ferreira, ponto de encontro dos fortalezense e, claro, dos visitantes, ainda em meados do século passado.

Música: Praça do Ferreira
Autor: Gordurinha



sexta-feira, 25 de setembro de 2015

GELSON, na 5ª EDIÇÃO do PACTO por FORTALEZA em AÇÃO - TURISMO

O vereador GELSON é reconhecidamente um dos líderes quando o assunto é Turismo, na capital. Ele preside a Comissão de Turismo do Legislativo, por isso a sua presença na condução da 5ª Edição deste evento criado pela Câmara Municipal de Fortaleza.

Acompanhe os melhores momentos da primeira parte. O PACTO foi transmito ao vivo pela TV Fortaleza, direto do auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

GELSON COMANDA HOMENAGEM AO DIA DO SOLDADO

"Aqui se aprende a defender a Pátria". A frase foi lembrada, de improviso, pelo vereador GELSON ao longo do discurso que fez em homenagem às Forças Armadas pelo Dia do Soldado (25/8). A lembrança faz referência à sua terra natal, Rio de Janeiro, quando lia a frase no muro de uma das instalações do Exército durante constante trajeto de ônibus pela cidade.

Acompanhe as imagens e o texto do discurso.



Discurso Sessão Solene Dia do soldado – 23/09/2015

Boa tarde a todos os senhores e senhoras que nos prestigiam nesta homenagem solene em alusão aos 73 anos da 10ª Região Militar e Dia do Soldado.
É o Legislativo Municipal prestando um justo tributo à luta de cada dia de quem serve à Pátria e serve ao próximo sem temor e com a garra dos heróis. 
A nobre filha do Ceará, a escritora Rachel de Queiroz, nos brindou com um breve pensamento que diz o seguinte:
“Quando se houverem acabado os soldados no mundo – quando reinar a paz absoluta – que fiquem pelo menos os fuzileiros como exemplo de tudo de belo e fascinante que eles foram!”
 Desta famosa frase da nobre escritora para prestar as mais sinceras homenagens a todos os Soldados, pois seu conteúdo demonstra a importância do papel do soldado para a humanidade, no exercício de sua atividade, sempre lutando pela manutenção da paz, da ordem e da segurança pública.
 O Dia do Soldado, comemorado no último dia 25 de agosto, traz, na sua historicidade, um exemplo de patriotismo.
 A data foi instituída em homenagem a Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, nascido em 25 de agosto de 1803, que lutou e defendeu o Brasil em confrontos internos e externos.
Não temos, neste momento, o propósito de contar a história desse grande combatente, porque sobre ele já discorreu a história e ele próprio, conhecido como pacificador durante as rebeliões contra o império, já se deixou na história através dos seus feitos heroicos, que lhe garantiram o título de “Patrono do Exercito Brasileiro”, em 1962.
 Queremos sim destacar, reconhecer e, acima de tudo, homenagear os nossos “Duques de Caxias” dos dias atuais, todos os profissionais militares de nossa nação, em especial, desta Unidade, pelos bons e relevantes serviços que tem prestado a comunidade.
 Os nossos profissionais são Soldados que, diuturnamente, não medem esforços para bem servir a comunidade, e que, invariavelmente, abrem mão do lazer e do convívio dos familiares para levar a bom termo suas missões.
 Todos os bons soldados, do Exército, da Marinha, da Aeronáutica, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar, são eternos, pois souberam e sabem fazer jus à profissão que abraçaram.
 Assim, especialmente nesta data, em que se comemora o dia do soldado, em nome da paz social, da segurança pública e da cidadania, parabenizamos todos os nossos valorosos irmãos de farda, integrantes das forças armadas, a qual tive a honra de servir, por todo o cuidado, pela constante vigilância e, acima de tudo, pelo amparo que dão à toda  sociedade, seja dentro de nossas fronteiras ou nas missões de paz, em destacamentos avançados em outros países.

Do jovem soldado e escrito italiano Edmundo de Amicis, veio o seguinte pensamento: “Coragem... pequeno soldado do imenso exército. Os teus livros são as tuas armas, a tua classe é a tua esquadra, o campo de batalha é a terra inteira, e a vitória é a civilização humana.”
 À vitória da civilização humana, conquistada à duras penas por nossos soldados!

 Parabéns a todos os soldados pela passagem do seu dia. 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

GELSON no programa PLENÁRIO da CIDADE

GELSON mais uma vez é fonte de entrevista para TV. Nesta edição, o PRESIDENTE da Comissão de TURISMO da Câmara Municipal fala da participação do segmento na CONSTRUÇÃO da cidade durante o PACTO por FORTALEZA em AÇÃO.

Acompanhe!

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

BASTIDORES da TV com GELSON

Assim foram os bastidores de uma das entrevistas ao vivo concedidas por GELSON, depois do encerramento da mais recente edição do PACTO por FORTALEZA em AÇÃO.

GELSON comanda o PACTO por FORTALEZA

A 5ª Edição do PACTO por FORTALEZA em AÇÃO falou sobre Turismo, Emprego e Renda, temas que interessam a Câmara Municipal, organizadora do evento. Escolhido para comandar: vereador GELSON Ferraz.

Acompanhe no vídeo os momentos ao vivo, pela TV Fortaleza, a concentração antes do início, a presidência da mesa e ainda outras entrevistas que GELSON concedeu a Rádio Fortaleza FM e TV Diário, canal 22.

GELSON APRESENTA RÁPIDO PERFIL DOS REPUBLICANOS

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

GELSON É PRB II

Um convite do Gelson. Um convite dos republicanos.

GELSON É PRB I

Não se impressione tanto com o que você vai ouvir - embora as palavras mereçam sua total atenção!

Fique impressionado - aí sim! - com a disposição de Gelson liderar o PRB, na quinta maior capital do país, ser vereador e presidente da Comissão de Turismo da Câmara Municipal.

Mas, já que você chegou até aqui, aproveita, dá um play e venha entusiasmar-se também :)

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

"AINDA NÃO CAIU A FICHA SOBRE COMO PREPARAR O TURISMO".




GABINETE DO VEREADOR GELSON FERRAZ – PRB
Pronunciamento em 11/08/2015 – GRANDE EXPEDIENTE – 15’

Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Vereadores,


Eu quero começar o meu pronunciamento de hoje, lendo um trecho de uma carta. Ela diz o seguinte:

“Eu sei que a maioria das pessoas que conheci em Fortaleza é boa, somente algumas áreas são perigosas. Não é a minha primeira viagem ao Brasil com minha mulher, brasileira, mas foi a minha primeira viagem a Fortaleza. Eu pensei que às duas da tarde de um domingo eu podia caminhar pela calçada da praia, em frente a prédios e restaurantes. Eu estava errado. Ser assaltado era a última coisa que eu esperava no Brasil".

Nem preciso dizer que esta é uma parte do desabafo feito pelo turista americano Bill Weyne, que foi alvo de uma covarde agressão na Av. Beira Mar.

Não quero requentar o assunto, senhor Presidente, até porque alguns órgãos e entidades ligadas ao turismo fazem questão de empurrar o assunto para debaixo do tapete, como forma de tentar preservar a imagem da cidade.

Mas eu digo, senhoras e senhores, que Fortaleza tem que subir de patamar. Nós temos que imaginar uma cidade que realmente possa estar imersa no atendimento ao turista, reconhecendo que esta é sim, a nossa principal fonte de riquezas. Que esta é a base de nossa economia.

Os prejuízos causados pelo que aconteceu ao turista americano em solo turístico de Fortaleza, ou seja, no cartão postal da cidade, é algo que ainda vai repercutir muito lá fora. Enquanto aqui a vida segue normalmente, em meio à barbárie, a nota negativa a ser difundida em outros países ainda vai persistir durante muito tempo.

O que temos de ter em mente; e o que não canso de repetir nesta Casa, desde que assumi a bandeira da defesa do turismo, é que Fortaleza precisa dessa atividade para seguir em frente.

Não somos uma cidade de base econômica rural. Não temos um grande parque industrial. Não somos o grande centro financeiro do mundo. Nós somos uma cidade turística.

Mas parece que é difícil incutir isto na mente privilegiada de algumas autoridades. 

Como assim, as duas da tarde não tinha uma viatura na Av. Beira Mar?

Como pode não termos dado a assistência devida aquele turista, que representa muitos outros que já foram assaltados, esfaqueados, espancados, trucidados, enquanto proviam a economia da cidade?
 
Como explicar que o turista agredido foi socorrido de táxi para uma UPA, porque os nossos serviços de apoio e atendimento de urgência são uma piada?

Como explicar a um turista, que temos um posto de informações turísticas, mantido pelo Poder Público, mas de onde seria prudente ele manter distância, porque ali nas proximidades temos assaltantes que adoram pegar turistas desavisados?

São questionamentos fortes, senhor Presidente, mas que nos permitem elevarmos a nossa reflexão quanto ao turismo que queremos.

A ex-prefeita Luizianne Lins adotou um slogan para a sua gestão, que acabou virando marca, onde ela dizia que o mais importante era cuidar das pessoas. 

Pois bem, para profissionalizarmos o turismo em Fortaleza, vamos ter de mudar radicalmente a forma como recebemos essas pessoas. Vamos ter de enxergar o turista enquanto ser humano. Vamos ter de compreender que se a cidade estiver boa, adequada para receber os visitantes, certamente estará pronta para sua população local.

Me preocupa a visão equivocada de que fazer turismo é apenas priorizar obras milionárias. Em muitos recantos do planeta, o turista sente-se tão acolhido, que prefere ficar ali em contato com a natureza, em lugares até rústicos, mas que sintam-se seguros, contemplados com o atendimento.

Temos de mudar a concepção e o nível de respeito.

Não é escondendo do turista que aquele trecho de praia está impróprio para o banho, que manteremos a fidelidade dessa pessoa para com Fortaleza.

Não é enganando o visitante com preços abusivos, que vamos passar a mensagem certa para o resto do mundo.

Precisamos de uma visão mais arrojada para o turismo. E só vamos conseguir isto com um olhar diferente do que temos hoje.

Eu quero, inclusive, propor ao Prefeito Roberto Cláudio, que possamos criar um batalhão especial da Guarda Municipal, para a segurança de pontos turísticos.

Não devemos mais esperar a boa vontade da Secretaria de Segurança Pública. Eu proponho o fortalecimento da Guarda Municipal, criando um sistema de segurança nosso, da Prefeitura, para que possamos impor o mínimo de respeito. Para que a segurança seja tão grande quanto a própria sensação de segurança.

Uma guarda municipal que possa guardar nossas praças, nossos monumentos, nossa orla.

Que impeça absurdos como a cobrança de pedágio nas praças da cidade, como ocorre em nossas belas praças do Centro, quando a noite cai.

Eu digo isso, senhor Presidente, e já faço um alerta sobre a triste situação da Praça do Ferreira, quando a noite vem. É um grande absurdo. A praça é fechada para o turista e para a população, porque os moradores dali não querem ser incomodados.

Enfim, em pleno ano de 2015, ainda não caiu a ficha das gestões sobre como preparar a cidade para crescer economicamente através do turismo.

Não temos uma campanha publicitária sequer, mostrando a população sobre como deveríamos receber o turista, nada. Nem para isso estamos atentando.
São muitos detalhes. Senhoras e senhores, detalhes que prefiro tratar de forma aberta à jogar a sujeira para debaixo do tapete. 

Uma coisa é certa. Ainda não estamos prontos para o turismo de qualidade. Continuamos contando, portanto, com o acaso.

Mas até quando?

Obrigado, senhor Presidente.

Por enquanto é tudo.