quinta-feira, 20 de março de 2014

UMA SUGESTÃO DO MANDATO DO VEREADOR GELSON FERRAZ

Em detalhes: "Requer o envio de expediente ao chefe do Poder Executivo Municipal solicitando a construção de um Hospital Infantil no município de Fortaleza".



PRONUNCIAMENTO DO VEREADOR SOBRE A INSEGURANÇA NO ESTADO

Os números alarmantes de assassinatos no Ceará, o medo da sociedade, a política estadual de insegurança fracassada e a indignação do vereador Gelson Ferraz, da tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza. Acompanhe seu pronunciamento, íntegra.

terça-feira, 18 de março de 2014

ACOMPANHE O PRONUNCIAMENTO DO VEREADOR GELSON FERRAZ

A fala, nesta terça-feira, 18, direto da tribuna, mexeu com o legislativo municipal. Leia, na íntegra:

"Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Vereadores,
Servidores da Casa,

Bom dia a todos!

Eu gostaria realmente de estar aqui para tratar de outros temas, principalmente se fosse para estar comemorando conquistas para a população. Mas infelizmente este não é o caso.

Então, eu não seria honesto com o mandato que me foi concedido pela população se eu deixasse de expor a minha opinião, a minha preocupação e, principalmente, a minha indignação com a carnificina que está acontecendo aqui no Ceará. Mais de 700 pessoas foram assassinadas em apenas 59 dias. Isso dá uma média de quase 12 pessoas mortas/dia, nos meses de janeiro e fevereiro. 

Eu poderia estar aqui fazendo firulas e loas para o Governador, mas estaria enganando a população, porque este governo indiscutivelmente falhou no quesito segurança pública. E não foi qualquer falha, senhor Presidente, foi a ineficiência que gerou genocídio aqui no Ceará.

Genocídio sim, já que não estamos em guerra formal.

Os senhores e senhoras sabem que o Governador prega aos quatro cantos que foi o governo que mais investiu em segurança. E foi mesmo. Que mais contratou policiais. E foi mesmo. Que comprou carros caríssimos, importados, de uma mesma marca. Foi sim, sem dúvida. 

Também foi o Governo que manteve o pior relacionamento com os policiais. Também não há dúvida quanto a isso. Foi o campeão em demissões de policiais por “insubordinação”, do tipo “participar de reuniões” ou simplesmente “reivindicar melhorias para a corporação”. Também é verdade. Demissões políticas que mexeram com a dignidade e com a motivação da tropa.

E, por último, criou duas polícias e alimentou o ódio da maioria da tropa, pagando gratificações para alguns grupos, onde um soldado privilegiado ganha mais que um oficial comum.

Se estes fossem quesitos de uma prova, com certeza a resposta seria a letra E, ou seja, todas as afirmativas são verdadeiras.



Acontece que a soma de tudo isso, senhoras e senhores, resulta neste caos em que vivemos. Tem sangue nas mãos do Governador Cid Gomes.

E não adianta dizer que é um fenômeno nacional e que é “culpa do crack”. Nem uma coisa nem outra! Em muitos estados, como Pernambuco, a violência existe, mas está sob controle. Nem São Paulo se mata tanto quanto no Ceará. E é de São Paulo –por omissão da nossa estrutura de segurança – que veio para o Ceará e se instalou aqui em Fortaleza, o Primeiro Comando da Capital, o famigerado PCC.

A notícia de que prenderam um líder do PCC aqui em Fortaleza não é motivo de comemoração. É motivo, sim, de desespero por parte da população. Isso apenas confirma que esta perigosa facção criminosa migrou de vez para o Ceará. Daqui a pouco teremos um "salve geral" aqui e, Fortaleza.

Incompetência! Ineficiência! Omissão!

São poucas as qualidades da gestão da segurança no Ceará. São tão poucas, senhor presidente, que nos deixa preocupados com a herança maldita que será deixada para o próximo governador. 

O termo “herança maldita” é muito utilizado para quem deixa dívidas para o próximo gestor. E como devemos chamar a herança de um caos como esse deixado pelo governador? Talvez o melhor termo seja "herança apocalíptica"!

E o próximo governador tem de começar a pensar nisso agora.

E sabe por que a sociedade ainda não reagiu à altura, senhor Presidente? É porque, por enquanto, as pessoas que estão sendo mortas nesse genocídio são pretas e pobres. Mas basta morrer alguém da classe média, para que os jornais estampem em primeira página e a sociedade reclame um pouco.

Mas do jeito que vai, senhoras e senhores, já, já estaremos nos deparando com a violência batendo forte à porta da classe média. Aí teremos mudanças.

Nós já teríamos que pensar em pedir a saída do Governador, pela sua ineficiência na segurança pública. Mas isso não vai ser necessário, porque ele deve pedir renúncia daqui a um mês, para que a sua engenharia política seja posta em prática, e assim, pasmem os senhores, seja eleito aquele que vai dar continuidade à sua bela gestão. Deve ser mais um rei do concreto e do carro de luxo que vem por aí.

Que Deus não permita um disparate desses.

E amanhã, a presidente Dilma estará aqui no Ceará. E o maior presente que ela poderia nos dar, longe dessa firula política que acontecerá lá em Sobral, seria um decreto de intervenção federal na segurança pública do Ceará, nos termos do art. 34, inciso III, da Constituição Federal, que estabelece intervenção por grave comprometimento da ordem pública.

Fica aqui o nosso registro, a nossa indignação e a nossa solidariedade para com as milhares de vítimas que perderam suas vidas pela falta de noção do Governo do Estado do Ceará.

Por enquanto é tudo, senhor Presidente".