quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

VEREADOR FALA SOBRE A PERMANÊNCIA DAS BARRACAS NA PRAIA DO FUTURO

Acompanhe a entrevista.

VEREADOR EM PRONUNCIAMENTO: "É massacre. É guerrilha urbana. É absurdo!"

A insegurança em Fortaleza, os assassinatos e assaltos crescentes e o medo dominando a população foram alimentos para o pronunciamento do Vereador Gelson Ferraz, na Câmara Municipal de Fortaleza.

Acompanhe o texto na íntegra e as imagens de sua fala, direto da tribuna. Fotos de Éverton Régis.








“Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Vereadores, um bom dia a todos. Eu vou abordar aqui um tema debatido aqui com muito fervor pelos nossos colegas, mas que eu gostaria de oferecer uma abordagem mais focada, principalmente com todas as características dos eventos que se aproximam.

Pois bem, daqui há menos de quatro meses, Fortaleza receberá a Copa do Mundo da FIFA. Particularmente, eu tenho as minhas limitações em falar sobre esporte, mas tenho bastante bagagem para tratar sobre o foco COPA DO MUNDO X TURISMO X VIOLÊNCIA.

Eu tenho ouvido bastante um jargão, muitas vezes utilizado em tom de brincadeira, que é: "IMAGINA NA COPA!"

Muito se têm falado sobre o legado que a copa deixará. Falam isso geralmente das obras, apesar da maioria dessas obras em Fortaleza serem entregues apenas depois do Mundial. Parece até brincadeira mesmo, mas são obras que certamente não seriam realizadas se não houvesse a Copa em nossa agenda de eventos.

Mas, eu quero alertar a cidade de Fortaleza, alertar ao prefeito Roberto Claudio e ao governador Cid Gomes, que o legado pode ser positivo e também negativo.

Nos últimos dois anos, mais de oito mil pessoas foram assassinadas no Ceará, sendo que a maioria perdeu a vida em Fortaleza ou nos municípios vizinhos, em nossa região metropolitana.

A maioria das guerras que estão em curso no mundo não mata tanta gente por ano como aqui, no Ceará.

Então percebam o quadro que estamos tentando pintar aqui nesta manhã. Estamos convidando pessoas do mundo todo para aproveitar a nossa capital e as praias do interior, sem qualquer preocupação com o legado negativo que a violência poderá trazer para Fortaleza, enquanto cidade turística.

Um turista bem tratado, sai da cidade falando bem. Mas, um turista assassinado, assaltado, molestado, gera uma notícia tão devastadora, tanto pelo seu alcance através da imprensa, quanto pela má impressão que causará.

E nós não estamos preparados para isso. Repito: oito mil pessoas mortas não é qualquer coisa. É massacre. É guerrilha urbana. É absurdo!

Nós não trabalhamos isso nos últimos anos. Nós, Poder Público, deixamos isso correr solto, porque a maioria das pessoas mortas são negras e pobres. É a nossa gente da periferia, que não sabe o que é Poder Público, porque é discriminada, esquecida.

Mas, não faz nem quatro meses, um turista levou um tiro à queima roupa, enquanto visitava o espigão da Avenida Beira Mar. E isto repercutiu de forma muito negativa. E esse turista era lá do Sudeste. 

E não é apenas mais um que não volta mais para Fortaleza. É a notícia que foi gerada, vista por milhares de pessoas, que já ficaram com um pé atrás entre escolher Fortaleza ou outro destino menos sangrento, perigoso, danoso.

E eu pergunto, aqui, aos senhores e senhoras, se esta carnificina vai parar automaticamente, como se acionassem um botão, ali no mês de junho.

Como nós vamos fazer? Vamos colocar escoltas para os ônibus de turismo? Vamos colocar um policial para cada turista? É claro que não. Isto seria também um absurdo.

Mas, a Copa foi anunciada há quase seis anos, e muito se preocupou com estádio, e se desprezou a segurança pública.

Nós temos até um carro bonitão para mostrar aos turistas, mas, a efetividade da segurança, que é bom, não temos, não.

Se um turista desses for assassinado, e eu digo isso porque assaltado, certamente, muitos serão, essa notícia vai correr o mundo na velocidade da internet.

‘Há, mas o vereador Gelson está pregando o fim do mundo!’ Nada disso. É que Fortaleza é uma cidade que depende do turismo, como Juazeiro ou Canindé dependem das romarias.

E isto é muito sério.

A FIFA, que não está nem aí pra nada, só quer saber do lucro, já cancelou o bloqueio de boa parte dos leitos de hotel que esperava ser ocupado pelo público do exterior. 

Pra mim isso já é um sinal de que esse resultado todo que está sendo esperado pode simplesmente não vir.

Agora, se esse resultado de público e de arrecadação não vier, e ainda for somado a isso a morte de turistas. Aí a coisa toda vai por água abaixo.

Eu ouvi falar, que na época dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro, o Governador havia feito um acordo com os bandidos, com os traficantes, para que não agissem durante a realização do evento. Não há como saber se um absurdo desses foi verdade. Mas no Rio a coisa foi tranqüila.

Mas, aqui em Fortaleza, o que estamos vendo é a criminalidade aumentar em progressão geométrica. Os policiais insatisfeitos e a população aterrorizada.

E o legado para a Cidade pode ser um tiro no pé, se não dermos conta de uma Copa do Mundo segura, pra inglês ver mesmo. Porque para nós reles moradores locais, não há esperança à vista, apenas mais mortes e mais violências.

Eu espero, senhor presidente, que alguma ‘mágica’ seja feita nesses poucos dias. Mas, se nada for feito, esta cidade poderá perder. E perder muito.

Fica aqui o nosso alerta. Obrigado”

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014


Gelson Ferraz mostra preocupação com

atrasos nas obras da Copa do Mundo


Vereador representa o PRB na Câmara Municipal - Foto: Genilson de Lima
Vereador representa o PRB na Câmara Municipal – Foto: Genilson de Lima
Utilizando o tempo da liderança partidária no grande expediente desta quarta-feira, 19, o vereador Gelson Ferraz (PRB) demonstrou preocupação com os atrasos de obras da Copa do Mundo 2014 que estão sendo realizadas na Capital. De acordo com o parlamentar, apenas duas obras ficarão prontas até o começo da Copa, e isso pode gerar uma publicidade negativa para turistas.
Gelson explicou que Fortaleza é uma cidade que tem a economia voltada para o turismo e o que se vê são obras atrasadas. Para o parlamentar, a cidade pode ficar com uma imagem negativa para os turistas, ao verem a Capital com diversas obras em andamento, que consequentemente dificultam a mobilidade urbana. Gelson também ressaltou que a violência que ocorre na cidade precisa ser resolvida o quanto antes.
“Li uma matéria em que a Secretaria de Turismo do Ceará vai investir 5 milhões de dólares para promover o ceará no exterior. Isso é uma boa notícia, mas vai mostrar o quê? Esse investimento tão grande para mostrar que nossas obras estão precárias, ou mostrar a insegurança que acontece no Estado? Cerca de 13 pessoas morrem por dia e nós vamos mostrar isso lá fora? Vai valer a pena gastar esse dinheiro?”, indagou o parlamentar.

ENTREVISTA SOBRE OS MORADORES DE RUA

A prefeitura de Fortaleza não sabe quantos moradores sobrevivem em ruas e praças. Os dados mais recentes são de 2008 quando foram contados 1.701 homens e mulheres, com mais de 18 anos, segundo recente reportagem do jornal O Povo. Foi este sensível tema para cidade que o Vereador Gelson Ferraz/PRB levou agora há pouco para tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza. 

Sua fala despertou o interesse para entrevista realizada pelo repórter Demóstenes Batalha, da TV Fortaleza. Acompanhe.

VEREADOR NA TRIBUNA DA CÂMARA MUNICIPAL

A prefeitura de Fortaleza não sabe quantos moradores sobrevivem em ruas e praças. Os dados mais recentes são de 2008 quando foram contados 1.701 homens e mulheres, com mais de 18 anos, segundo recente reportagem do jornal O Povo. Foi este sensível tema para cidade que o Vereador Gelson Ferraz/PRB levou agora há pouco para tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza.

Acompanhe as imagens.














Comemore Conosco!!!