sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CONVITE!!!


II caminhada “Rompendo o Silêncio”



Voluntárias do projeto Raabe do Ceará convidam vítimas de violência doméstica para participar da II caminhada “Rompendo o Silêncio” uma forma de contribuir com o dia Internacional Contra a Violência Doméstica, onde órgão se unem para combater a violência doméstica e familiar.



O PROJETO RAABE

O projeto Raabe foi criado para valorizar o lar de mulheres que se encontram passando a violência Doméstica e familiar e que precisam de ajuda psicológica ou emocional. Muitos são os lares agredidos por parceiros que casaram para serem felizes. Hoje o que mais a mídia mostra são lares destruídos pela violência.
Nossa sociedade tem contribuído ao aceitar valores errados, desde tempos remotos. No papel  homemXmulher criou-se uma cultura de competição, e foi esquecido o respeito pelo ser humano.
A mulher por mais que queira alcançar objetivos, não pode esquecer que ela é mulher, feminina, delicada, que gosta de se cuidar.
A natureza do homem é prática e resistente, por ser homem a sua criação é de ser provedor.
Quando homem e mulher entenderem seu devido lugar, criarão dentro de si uma força de apoio e não uma muralha de problemas.
O projeto Raabe estende sua força a lares que também passaram a violência doméstica e hoje contam, como sobreviventes, como superaram, a maneira de não se igualar aos homens, mas sim somar com eles as suas diferenças, porém nunca serem desiguais.
Ninguém precisa competir dentro de casa, pois, por natureza, cada um encontrará o lugar para desenvolver seu papel apropriado. Basta usar a sua inteligência e uma vez, aflorando as diferenças, pelo menos um dê um passo atrás, assim saindo do ambiente contaminado, minutos depois sua consciência vale repensar.
Projeto Raabe em busca de vidas escuras, levando a luz necessária para alcançar um sobrevivente.
http://projetoraabe.com

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Gelson Ferraz participa da última reunião do Conselho de Turismo


        Várias comissões funcionam na Câmara Municipal de Fortaleza e uma das mais destacadas nos últimos anos vem sendo a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda, presidida pelo vereador Gelson Ferraz, do PRB. O político já faz parte de importantes movimentos do setor de turismo e um deles, o Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) realizou a última reunião do ano nas dependências da Assembleia Legislativa do Estado. Gelson acompanhou explanação sobre potenciais de áreas como a do bairro Serviluz e a captação de recursos financeiros possíveis para investimentos no turismo da Capital.

            Preparando-se para o quarto mandato, Gelson sinaliza para um aumento dos trabalhos da comissão. O próprio parlamenta enumera as razões: “Fortaleza é uma cidade preparada para o turismo. E este setor está intimamente ligado as outras atribuições da comissão que eu presido. Pelo turismo podemos fomentar a criação de trabalho para os fortalezenses, incrementando a renda dessas famílias sem falar no desenvolvimento econômico que a Capital recebe por meio do setor”, finaliza.

            Acompanhe as imagens da 27ª reunião que encerrou o ano para os membros do conselho do COMTUR.
  
 

Nota: a reunião retornará em fevereiro de 2013. 

Danilo Amaral
Jornalista 1957 JP-Ce
Assessor de Comunicação do Gabinete
Fotos Everton Régis

Pronunciamento realizado em 21/11/2012



Senhor Presidente,
Colegas Vereadores e Vereadoras,
Servidores,
Profissionais da Imprensa Presentes,

Eu inicio o meu pronunciamento de hoje, senhor Presidente, na condição de Presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda desta Casa, dizendo que a Prefeita Luizianne Lins não tem o direito de ficar fazendo terrorismo com a questão da festa do Reveillon.

Terrorismo da pior qualidade, repito.

Digo isso, senhoras e senhores, porque um clima de incerteza e de esparrela que está sendo criado em torno da não realização da festa, vem colocando em risco toda a mobilização do setor turístico e de serviços da cidade de Fortaleza e de cidades do litoral.
Não existe esta conversa de que precisa de garantias para realizar a festa, porque ficariam restos a pagar para a próxima gestão. Se isso fosse verdade, não estaríamos nos deparando com tantas licitações em andamento, algumas, inclusive, que serão homologadas e pagas apenas no próximo ano.

Este joguinho que a Prefeita está tentando impor à cidade de Fortaleza é um ato de irresponsabilidade sem precedentes. Mais parece ato de vingança do que de uma gestora que sempre se disse comprometida com a cidade.

O setor hoteleiro já fez investimentos; as agências de turismo venderam seus pacotes; pessoas de todos os estados do país já se comprometeram financeiramente com a estada em Fortaleza.

Não preciso lembrar a esta Casa que o nosso município tem a sua economia quase que totalmente dependente do turismo.
Somos uma das Capitais que mais atraem turistas no Brasil. Somos um destino preferencial da maioria dos turistas estrangeiros.

E a parte mais importante: a população da cidade está perplexa com esta conversa fiada de que não poderá ser realizada a festa.

Se estava dependendo da garantia do Governador, de que a segurança pública estaria presente, esta ele mesmo já o fez através da imprensa.

Da mesma forma, o Prefeito eleito Roberto Cláudio já deu garantias de que aquilo que for legal, ou seja, as despesas que transpassarem a gestão, mas que forem realizadas de forma correta serão perfeitamente assumidas. Até por que é isso que garante a Lei.

A não ser que o formato de construção deste evento seja irregular! Mas se for realizado dentro do que preceitua a Lei, não terá problema algum.
O argumento pífio que estão colocando, fala que todos eram contra e agora estão favoráveis. Eu quero lembrar à Prefeita, que a festa de Reveillon não é uma festa particular dela. Ela não é o dono da bola. Quando a criança fica de fora do futebol, pega sua bola e acaba com o jogo. Esta festa é promovida pela Prefeitura.

E a própria Prefeita já disse várias vezes que isso é política pública. Então como decidir ameaçar a realização da festa?

Muita gente já fez oposição a isso. O Reveillon já foi contestado várias vezes. Mas ninguém contesta um evento desse porte, que é bom para a cidade. O que sempre se contestou foi o fato da Prefeitura pagar a conta sozinha. E que o maior Reveillon do Brasil, realizado no Rio de Janeiro, é praticamente todo pago e explorado pela iniciativa privada. Esta é a grande diferença.

Eu faço aqui um apelo à Prefeita Luizianne Lins, que não manche a sua imagem de gestora, num ato tão pequeno de ameaçar a realização do Reveillon.

E quero manifestar a preocupação de todo o trade turístico com este jogo de empurra. Fortaleza terá um prejuízo enorme se este joguinho for concretizado.

São muitos empregos, muitas famílias que já iniciam o ano trabalhando e ganhando seu dinheiro, seja no comércio, no transporte do turista, na hospedagem, enfim, toda uma cadeia produtiva dependendo de que esta festa seja realizada.

E eu repito, senhoras e senhores, o Reveillon é uma política de Governo, e não uma festinha particular da senhora Prefeita, a qual rendo meus respeitos, porém, muito preocupado com esse tipo de atitude.

Por enquanto é tudo, senhor Presidente. Obrigado.