quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Vereador Gelson é reconduzido para presidir a CDETER

Foi instalada na Câmara Municipal de Fortaleza a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda, onde o vereador Gelson foi reconduzido para presidi-la.



COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO

Vereador Gelson Ferraz (PRB) – Presidente
Vereador Alípio Rodrigues (PTN) – Vice-presidente
Vereadora Leda Moreira (PSL) – Membro
Vereador Marcus Teixeira (PMDB) – Membro
Vereador Tomaz Holanda (PMN) – Membro
Vereador Walter Cavalcante (PHS) – Membro

Gelson questiona construção de shopping na Parangaba


O vereador Gelson Ferraz (PRB) questionou, a construção de um grande shopping no bairro Parangaba. Ele disse que tem dúvidas sobre a maneira como projeto vem tomando forma e se foi bem projetado para comportar a demanda que deve gerar nas ruas do bairro.
“O empreendedor escolheu um dos mais improváveis bairros para construir o shopping. Não quero dizer que a Parangaba não mereça um empreendimento deste tipo, mas que não há infraestrutura suficiente para comportá-lo.”
A preocupação do vereador se deve ainda à ausência de um órgão de planejamento, que deveria se pronunciar sobre a viabilidade da obra no local. Gelson aproveitou ainda para destacar a intenção da Prefeitura de Fortaleza em recriar este órgão, que era chamado Iplam e deverá se chamar Iplanfor. “Ouso dizer que a recriação do órgão de planejamento da cidade será um dos maiores legados da prefeita Luizianne Lins.”
Em seu pronunciamento, o vereador comemorou sua recondução para a presidência da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda. Ele informou que já está elaborando um cronograma de atividades.


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

IPLAM, Urgência no Planejamento da Cidade e Shopping Parangaba - 03/02/2011


Senhor Presidente,

Estamos iniciando a terceira sessão legislativa desta legislatura, sob nova direção, e já aproveito para desejar ao nosso presidente Acrísio Sena todo o sucesso nessa empreitada como nosso gestor maior.
Eu, pessoalmente, torço muito para que a cidade possa contar cada vez mais com o nosso trabalho e a nossa força como representantes.
As articulações apontam a nossa recondução para a presidência da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda.
Estamos prontos para os novos desafios e já trabalhando na elaboração de um cronograma de atividades, que permita a continuidade da participação e influência do Legislativo nessas atividades econômicas.
E a cidade começa o ano com um grande presente da Prefeita Luzianne Lins, que é o anúncio de que será devolvida à população, finalmente, o Instituto de Planejamento do Município, que antes de sua extinção era IPLAM e que agora me parece que atenderá pela sigla IPLAMFOR.
Eu lhes digo, senhoras e senhores, que a sigla é o que menos importa nesse processo. E ouso dizer que a recriação do IPLAM será um dos maiores legados da gestão da nossa Prefeita Luizianne Lins, que era vereadora na época em que o órgão foi extinto e que pode, também como Prefeita, acompanhar todo trágico desenrolar de uma cidade que cresce sem o devido planejamento urbano.
É muito importante que se diga que a Prefeita acaba por atender, também, à grita desta Casa que, inclusive, aprovou um Projeto de Indicação, demonstrando que a recriação do órgão é uma prioridade da cidade.
Mas, senhor Presidente, além de abordar a questão do IPLAM, e também seguindo a mesma linha reivindicatória que empreendemos desde o início do mandato, pela inserção do planejamento urbano como principal elo da cidade com o futuro, eu quero manifestar aqui a minha preocupação pessoal com o anúncio de um grande empreendimento comercial, já em fase de construção, que é um shopping center com capacidade para mais de trezentas lojas, que será instalado na Parangaba.
Nós ainda estamos iniciando nossos estudos quanto a construção desse shopping, mas eu já quero deixar clara a minha preocupação quanto ao local da construção.
Senhor Presidente, senhoras e senhores, o empreendedor escolheu, para levantar o seu mega empreendimento, um dos mais improváveis bairros da Capital.
E não digo isso porque a Parangaba não mereça um grande shopping center. A questão maior e mais preocupante, é que não há infra-estrutura suficiente para comportá-lo.
Meus senhores, esta é uma questão muito séria. A Parangaba já é um bairro quase que intransitável.
À qualquer hora do dia é possível constatar os transtornos daquela área da cidade, que por décadas foi esquecida, foi relegada.
O planejamento urbano passou bem longe dali. Muito pelo contrário.
Nós temos uma Avenida Dedé Brasil que joga uma quantidade enorme de veículos na Parangaba. Ou seja, traz milhares de carros, ônibus, motos daquela região do Castelão e adjacências, e joga-os em lugar nenhum.
Da mesma forma é a Av. Godofredo Maciel. Esta vem enorme, trazendo o trânsito de Maracanaú, Maraponga, Conjunto Esperança, Mondubim e despejando tudo na Parangaba.
A Av. Osório de Paiva também segue o mesmo destino. Traz todo o fluxo de Maranguape, das BR’s, do Grande Bom Jardim e joga tudo na Parangaba.
Para uma pessoa que não conhece Fortaleza e ouvisse um relato desses, poderia pensar que ali nesse ponto da cidade começaria uma grande avenida que absolvesse todo esse fluxo. Talvez uma daquelas grandes rodovias dos filmes americanos.
Mas que nada, senhor Presidente, tudo deságua em ruas estreitas e sem a menor condição de receber essa monta de veículos.
Agora pensem os senhores sobre a enorme demanda extra que a Parangaba vai ter de absolver com a construção desse shopping.
É algo realmente impensado, assustador e contra todas as boas diretrizes urbanas. Se é que elas existem.
E não vos fala aqui um transeunte não. Sou morador da Parangaba. Passo por esses transtornos todos os dias. É um absurdo.
Meus estimados colegas, eu não acredito que a Prefeitura pense em autorizar um empreendimento dessa monta, com o atual desenho da Parangaba.
Acredito que ainda não tenha analisado esse pedido, apesar de o construtor já estar fazendo propaganda de duas páginas nos jornais de grande circulação.
Eu estou encaminhando um pedido de informações à Prefeitura, para saber se isto já foi autorizado.
Se isto realmente tiver acontecido, nós vamos ter de descobrir quem foi que rasgou a legislação federal, no caso o Estatuto das Cidades. E que rasgou, também, o nosso recém aprovado Plano Diretor, que institui a obrigação do Estudo de Impacto de Vizinhança.
Será que foram apresentados todos os estudos? Quantos veículos a mais circularão nas vielas da Parangaba? Quantas pessoas a mais lotarãos os ônibus, terminais e o metrô?
São questões que precisariam ser respondidas antes mesmo de se autorizar o início das obras.
Eu lembro que para autorizar a construção do Carrefour, lá vizinho ao Detran, na Maraponga, foi um grande clamor da Prefeitura e desta Casa também.
Então por que esta obra será tocada sem discussão.
Pois bem, teremos discussão SIM.
Já estou protocolando um requerimento para realizarmos uma Audiência Pública imediatamente, antes que os tijolos sejam erguidos à ermo.
Eu gostaria de pedir o apoio do Presidente Acrísio Senna, do líder da Prefeita, vereador Ronivaldo Maia, para que as informações sejam repassadas com brevidade e que possamos mobilizar a sociedade, principalmente a população da Parangaba.
Eu fico por aqui, senhor Presidente, e peço apoio para mais esta luta.

Obrigado.