quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Milhagens aéreas devem ser usadas para diminuir custos da Prefeitura de Fortaleza


 

Durante este terceiro mandato, o vereador Gelson Ferraz defendeu um dos pontos mais sensíveis da Administração de qualquer cidade: os cofres públicos. Em seu Projeto de Lei nº 0014 o parlamentar propõe que “as milhagens aéreas decorrentes de passagens adquiridas pela Prefeitura Municipal de Fortaleza” sejam revertidas para a mesma, ou seja: se alguém do poder executivo precisar viajar, é só utilizar as milhagens adquiridas. Livrando os cofres públicos de arcar com novas despesas de viagem. E são dezenas delas por ano.
Esta foi a forma do vereador Gelson Ferraz mostrar que é possível transformar boas idéias em bons resultados financeiros para o município. Com a economia em viagens, será possível investir mais em saúde, moradia, educação e limpeza.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

QUADRA COBERTA E SALA DE INFORMÁTICA

Conquistas do mandato do vereador Gelson Ferraz


A escola municipal Antônio Diogo de Siqueira, no bairro Bom Sucesso, periferia de Fortaleza, poderia ser só mais uma escola das muitas que existem na Capital. Mas há um diferencial em sua estrutura. Aliás, dois diferenciais que tiveram a participação direta do vereador Gelson Ferraz, através do projeto de lei orçamentária nº 319. Por meio desse projeto – que assegurava dinheiro para as obras – foi possível equipar a escola com uma cobertura para a quadra poliesportiva e com um moderno laboratório de informática para uso de alunos e professores. Segundo o diretor da escola, Laércio Pinheiro, a melhoria foi de cem por cento: “Antes, os alunos nem podiam fazer educação física devido ao sol forte de todas as manhãs. O espaço ficava abandonado. Mas depois da cobertura conseguida pelo vereador Gelson Ferraz, os meninos não saem da quadra, nem aos finais de semana. Toda a comunidade usa para recepções e eventos festivos além de promover pequenos campeonatos de futebol com jogadores do próprio bairro, criando uma interação entre a comunidade e a escola”. Bem perto dalí, o laboratório de informática se transformou numa das salas mais visitadas. Ao todo, são dez computadores novinhos – todos com acesso a internet – além de impressora e monitor de TV de 29 polegadas. Equipamentos que ajudam, e muito, durante as aulas. Quem afirma é a professora de literatura, Abilene de Brito: “Olha, neste momento estou dando aula de fábulas e contos. Com os computadores e com a internet posso melhor a didática com os alunos. Posso fazer animações para eles e, assim, o aprendizado se torna muito melhor e mais gostoso”. A conquista desse laboratório totalmente equipado só foi possível pela ação do vereador Gelson Ferraz, no mesmo projeto de lei 319. E os alunos o que dizem? Isabela Marques pensa na praticidade: “Hoje em dia, tudo está ligado ao computador. Com o laboratório de informática eu posso melhorar meus estudos e até entregar aos professores trabalhos melhores, mais bonitos”, sorri a estudante. Para Gelson Ferraz “a luta para aprovação da emenda foi justificada devido à necessidade de assegurar estruturas de informática e esportiva tão necessárias para uma melhor formação educacional, com inclusão digital e assim favorecendo a população”.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ENCONTRO MARCA A PREOCUPAÇÃO COM AS PRAIAS DA CAPITAL

A Câmara Municipal de Fortaleza é um dos centros de debates mais movimentados do Ceará em especial quando o assunto é o cuidado com o meio ambiente e com o uso sustentável das reservas naturais da Capital. Um dos encontros marcantes mais recentes teve o litoral como foco. A Audiência Pública aconteceu no auditório do Parlamento e contou com a presença de diversos representantes de órgão públicos ligados aos cuidados com o meio ambiente, mais particularmente, com as praias que banham a cidade. O vereador Gelson Ferraz, autor do encontro e que atualmente preside a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Emprego e Renda, iniciou os debates citando matérias dos principais jornais do Ceará que tratam da balneabilidade das praias. Todos os levantamentos apontam como impróprias as águas dessas praias. E tal situação chamou atenção do parlamentar e trouxe cobranças severas. Por que ainda há barracas que alimentam fossas nessas áreas? E por que os banhistas não tomam conhecimento de onde podem ou não banhar-se? Quais os critérios usados para apontar que praias podem ou não ser freqüentadas? Os questionamentos foram feitos por Gelson Ferraz aos representantes das Secretarias do Meio Ambiente do Município e do Estado, além da Secretaria Regional II, que atende as áreas praianas e Cagece, empresa que gerencia o abastecimento d’água e o saneamento básico no Ceará.
Para o parlamentar, “é necessário que se entenda o controle de balneabilidade que acontece em nossa orla para que possamos informar bem a nossa população e dar a ela regras claras sobre o uso desses espaços em nossa cidade”.